Informações aos pacientes

 

Pólipos


 Os pólipos são excrescências de crescimento lento da mucosa colônica e que carregam um risco pequeno (<1%) de se malignizarem. No entanto, como os pólipos são altamente prevalentes na população geral (especialmente com o aumento da idade), eles conferem uma predisposição importante para o câncer de cólon e são, portanto, removidos quando detectados.

Os pacientes com pólipos isolados geralmente são assintomáticos. Os pólipos podem ocorrer como parte de síndromes de polipose hereditária, nas quais seu número é maior e o risco de progressão maligna é muito maior, comparado ao risco dos pólipos isolados. Contudo, cabe lembrar que alguns tipos de pólipos têm características celulares de lesões benignas, enquanto outros podem apresentar comportamento mais agressivo, podendo inclusive se transformar em lesões malignas (câncer).

Os pólipos do cólon, ou adenomas, são neoplasias epiteliais benignas que se originam no revestimento de células epiteliais do cólon. Os pólipos são tradicionalmente divididos em grupos.


Pólipos hiperplásicos


Os pólipos hiperplásicos compreendem cerca de 90% de todos os pólipos e as protrusões são totalmente benignas. Geralmente têm menos de 0,5 cm de diâmetro. Os pólipos hiperplásicos ocorrem mais comumente na região do retossigmóide durante a idade adulta.

 

Adenomas


Os adenomas compreendem aproximadamente 10% dos pólipos. A maioria (cerca de 90%) é pequena, geralmente com menos de 1,5 cm de diâmetro, e tem potencial muito pequeno para malignidade. Os 10% restantes de adenomas têm mais de 1,5 cm e cerca de 10% de chance de conter câncer invasivo. Os adenomas são tradicionalmente divididos em três tipos: tubular, tubuloviloso e viloso. Os adenomas tubulares são os mais comuns dos três tipos e podem ser encontrados em qualquer parte do cólon. Aqueles com uma haste distinta são denominados pedunculados; aqueles sem a haste são denominados sésseis. O risco de progressão para carcinoma está relacionado ao tamanho do adenoma. Os adenomas tubulovilosos são mais comumente encontrados na área retal. O grau de componente viloso destes adenomas está correlacionado com o risco de progressão para carcinoma. Os adenomas vilosos mais comumente ocorrem na área retal; tendem a ser maiores que os outros dois tipos; e tendem a ser não-pedunculados, aveludados ou têm aspecto de couve-flor. Os adenomas vilosos associam-se às taxas mais altas de morbidade e mortalidade de todos os pólipos. Podem causar síndromes hipersecretoras caracterizadas por hipocalemia e abundante secreção mucosa e podem abrigar carcinoma in situ ou carcinoma invasivo mais freqüentemente que outros adenomas.

 

 

OBS: O material contido neste site visa informar e orientar os pacientes que necessitam de informações médicas, não substituindo, em nenhum momento, a completa avaliação de um profissional qualificado.

 

Não tome remédio sem orientação médica.

Consulte sempre um especialista.

Em casos de urgência, procure o pronto-socorro mais próximo.